segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Garagem, necessidade, lembrança e homenagem

Como sabem, eu gostaria de uma segunda moto. Está nos planos. Futuro distante, é verdade, mas está nos planos.

Só que, além das prioridades (especialmente a casa, que é uma obra que, pronta, nunca termina), a necessidade (especialmente o terceiro filho e a chuva constante) exige um segundo carro. E, como sabem, eu desejava um Opalão. Com a onda retrô, porém, o Opala é sonho distante, até porque prefiro a segunda moto que um Opala.

Então pesquiso um usadinho com um visual que me agrade. Coisa para um futuro próximo, é verdade. Nada de imediato. Nenhum comprometimento das prioridades. Assim, sem lá muita expectativa, vou pesquisando... E, ao pesquisar certa faixa de valores, dei com um Astra branco. Um Astra branco!

Alguns amigos mais próximos logo vão lembrar de algo que eu disse faz uns dois anos, em De duas orações paternais. Leia (ou reeleia) e me entenda. Eu estava de olho mesmo em outros modelos, até aqui. Agora, porém, desejo um Astra branco.

Se o mítico estará para sempre além do meu alcance, meu coração bem pode acelerar mais que apenas com o que passa, mas com um cuja direção posso empunhar.

Ainda é sombra, mas é sombra que faz bela homenagem!

domingo, 10 de novembro de 2019

Off-topic: Banco Two-up Sportster à venda

Isso obviamente não é tema do blog, mas pode ajudar com acessórios que são tema. 

Como adquiri os bancos Mustang, embora tenha até pensado em mexer no original (ou para fazê-lo “comfort” ou para deixá-lo slim), a verdade é que não teria uso. Então coloquei à venda.

O banco é original, mas tem o couro customizado. A costura está gasta, mas o banco está em perfeitas condições de uso.

R$600,00 (mais frete) ou, no Mercado Livre, R$650,00 (frete incluso). Negociável, desde que sem ofensas (hehe).

Serve em qualquer Sportster 2004-up.

Caso conheçam algum interessado, por favor, indiquem.

Seguem fotos:






quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Lady Day no spa 4

A menina continua no spa e eu não tenho novas. A ansiedade e a vontade de rodar estão começando a crescer ao ponto do insuportável. Mas que se há de fazer? Devemos aguardar, então aguardemos. (Ademais, chove tanto há tanto tempo nos últimos dias nesta cidade que nem daria para rodar com tanto prazer assim.)

O fender bib.
Enquanto isso, continuo a namorar acessórios e a pensar soluções para complementar o banco solo.

Do mesmo vendedor dos bancos comprei o fender bib (ou protetor de paralama), uma vez que pouco usarei o banco do garupa e o paralama está marcado do banco original. Também Mustang, como os bancos. E, olha, não sei como são os outros bibs, mas a qualidade da Mustang é algo que impressiona.

A propósito, um amigo sugeriu colocar um filme de vinil sobre a área marcada do paralama. Eu gostei da ideia, não só para o paralama, mas também para a capa da bateria que, em contato com o alforge solo, está perdendo a tinta.

O rack.
Além disso, estou pensando em colocar um rack (ou bagageiro, ou grelha, ou, pasmem, "eliminador de banco").

Depois que chegou o banco Mustang, vi que há docking para encaixar o banco do garupa. Pensei que seria ótimo aproveitar o docking e tornar a troca rack/banco do garupa mais racional, por meio de um “rasgo” no nicho do parafuso da frente ao invés de um furo. Assim, as trocas exigiriam apenas mexer no parafuso de trás.

Falei com um fabricante, o mesmo do meu sissy bar, que sempre demonstrou boa vontade em relação a essas coisas. Até mandei uma foto mostrando o que preciso. Não é que agora o rapaz que me atendeu diz que só garante o encaixe na moto sem customização e que fica caro mudar o projeto da peça!? 

O docking em detalhe.
Achei de uma estupidez tal que nem respondi direito. O encaixe simplesmente não tem nada com isso. Não muda, é o mesmo, é certo. Não há modificações na moto ou no projeto do rack. Minha pergunta era outra. Só é preciso ferramentas para fazer o “rasgo” onde o furo já existe. Coisa simplíssima. Apenas que não tenho as ferramentas e seria uma mão na roda ter a coisa pronta do fabricante.

Bem, o negócio vai ser comprar o rack (não o deste fabricante, infelizmente) e levar a alguém na cidade que tenha as ferramentas para fazer o corte que eu preciso. Depois vai precisar também adicionar umas borrachas, como calços, na fixação do rack, para evitar que fique "bambo". Mas isso é coisa que eu me divertirei em fazer.

De resto, é aguardar e aguardar e aguardar...

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Motos e fotos 19

Baita foto do NegoLDB, do Forum HD.

“Tipo deserto do Arizona.” - ele diz. E explica: “Na verdade é uma estradinha aqui perto de Londrina, com asfalto (ainda que pista simples e sem acostamento)... Calhou que a gente parou nessa entrada de fazenda e tinha um cacto lá. Nada como um bom ângulo para fazer parecer o deserto.”

Dizem que o diabo está nos detalhes. Num cacto em meio a cercas e terra.. Não me parece. Ainda que ele se esforce em seduzir, na beleza dos detalhes o que vejo é Deus!


quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Lady Day no spa 3

Desci a Porto Alegre, para a Drag Pipes, para levar o banco do piloto e confirmar o encaixe. Não deu para colocar na moto, que ainda está toda desmontada e num canto de acesso não tão fácil. Mas está claro, para mim e para o Carlão, que está tudo OK.

Volto a dizer que ver a moto assim, apenas quadro e paralama, é algo assustador. Mas é preciso, para a coisa ser bem feita.

Perguntei a ele quanto tempo, aproximadamente, ainda leva e ele estimou ao menos mais duas semanas. Estimo eu, pelo meu lado, que só verei a Lady Day no fim de novembro. Ainda mais que agora volto ao trampo (após a convalescença pela fratura do tornozelo) e só terei os sábados disponíveis para ir buscá-la.

Já que desci a Porto Alegre, aproveitei o tempo e passei no mercado (que saudade de grandes mercados!) para trazer uns vinhos uruguaios (Tannat, claro!), e também passei na IESA HD para dar uma olhada nas motos. 

Não tenho tanto ânimo para ficar longo tempo no dealer namorando as motos, pelo menos não sozinho. Então é olhar rapidinho e adeus. Mas valem dois comentários: 
  1. Ao vivo a FXDR não é tão monstruosa quanto eu achava. É até simpática.
  2. Essa Slim da foto a seguir é, provavelmente, a última à venda por aqui (o Dan Morel me disse alhures que a moto continua à venda na linha 2020, mas não aparece no catálogo do site, pelo que não estou certo do que eu disse nem do que ele disse). Linda. Uma pena!
Softail Slim.
A próxima viagem a Porto Alegre provavelmente será para buscar a menina. Ansioso por isso!