domingo, 20 de novembro de 2016

Uma bolsa que não é uma mala

Neste fim de semana eu já comecei a arrumar minhas coisas para uma viagem que quero fazer no próximo fim de semana (para o Curitibanos Harley & Custom 2016, mas falarei mais do evento depois, provavelmente depois de voltar de lá).

Sim, eu gosto de ter tudo preparado com boa antecedência, mas o caso nem foi o de ter as coisas preparadas. O caso é que eu vou acampar e eu queria mesmo era saber como eu carregaria tudo o que preciso na moto.

Aliás, sobre o que preciso, bem, eu gostaria de ter comprado um daqueles colchonetes infláveis, com isolante térmico, bem pequenos, mas achei que o preço não compensa o atual uso tão esporádico. Também queria um travesseiro inflável, que não é assim tão dispendioso, mas também não compensa. Só vou gastar grana com isso para uma longa viagem que estou a planejar, mas que ainda demora um pouco a se realizar.

Por enquanto, o que tenho é uma barraca pequena, um colchão inflável enorme (e que não isola termicamente nada), uma bomba, um saco de dormir e uma espuma fina que fará às vezes de travesseiro. Além, é claro, de  capa de chuva, toalha, segunda pele, duas mudas de roupa (cueca, meia e camiseta; três no total: uma no corpo, uma muda e uma de reserva, que sempre levo em todas as viagens), um "pijama" (cueca, bermuda e camiseta), um chinelo...

Achei que não teria como levar tudo isso, principalmente pensando no colchão e na bomba, que ocupam um espaço considerável. Mas fiquei muito contente em colocar tudo, exceto a barraca e a capa de chuva (que vai na side bag), dentro da bolsa Kuryakyn Grantour Bag, que ainda leva os itens de higiene pessoal e remédios, os cacarecos eletrônicos e mais algumas coisas pequenas. E com folga para mais alguma coisa, se eu quiser. E, ainda, a bolsa ainda me serve de apoio lombar!

A aquisição desta bolsa foi realmente algo de que não tenho o menor arrependimento, mesmo ela não sendo a prova d'água (o que me faz levar um sacão de lixo que serve de capa; a que veio com ela voou numa viagem, eu não vi, perdi).
A bolsa Kuryakyn já com toda a bagagem dentro dela,
a barraca, o capacete e a roupa separada para a viagem.
Curitibanos, aí vou eu!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que quiser, concordando ou discordando, sugerindo, elogiando ou criticando, mas seja sempre educado. Qualquer comentário que seja ofensivo ou vulgar não será publicado.
Comentários de anônimos sem assinatura também não serão publicados, qualquer que seja seu conteúdo. Nem comentários puramente marketeiros.